25 de dezembro de 2007

É o Natal, então

Não penso em fazer deste espaço um diário virtual, mas o que passei hoje foi diferente. Diferente a ponto que me vi obrigado a fazê-lo.
Não tenho experiência nisso, mas vamos lá...

Querido Diário,

Hoje é Natal querido Diário. Todo mundo diz ''feliz Natal!'' para as pessoas. Várias vezes já me perguntei quantos ''feliz Natal!'' são ditos neste dia na terrinha azul. Eu fiz uns cálculos aqui: digamos que existam 6 bilhões de pessoas no Mundo, e que destes levo em consideração os ocidentais cristãos. Será que a metade? Vou ficar com a metade então. 3 bilhoes. Destes 3 bilhões “natalizados”, eu retiro os anti-capitalistas, os descrentes e os correligionários opositores. Será que dá uns 100 milhões destes? Retiro também as crianças, os caducos e alguns com problemas mentais. Acho que sobram 2 bilhões. Será só isso? Talvez mais, talvez menos (Quem nasceu primeiro: o ovo ou a galinha?). Pois bem, destes 2 bilhões cada um fala no mínimo 100 vezes ''feliz Natal!'', isto levando em consideração todo o avanço tecnológico da informática e Internet. Resultam disto 200 bilhões de ''feliz Natal!'' neste dia. Algo estupendo! Mas não tem relação nenhuma com o que me aconteceu hoje. Era só curiosidade mesmo.

Pois vamos aos fatos.

Hoje fui ao banco logo pela manhã. Sai de casa por volta das 9h em direção a parada de ônibus. De longe avistei um Sr com um paletó preto e um chapéu. Quando me aproximei reparai melhor na roupa dele. Paletó e calças pretas, ambos com pequenas listra brancas na vertical, e uma camisa branca. O que mais chamou atenção foi o que aconteceu logo em seguida.
Na parada estavam algumas pessoas. Acho que 8 no máximo. Uma Sra vendendo doces, algumas crianças com uma mulher, um casal jovem e uma outra jovem.
Então o Sr, aparentando ter mais de 80 anos, começou a cantarolar uma música que não conheço. Ele cantarolava e brincava com as crianças. No mesmo instante vi que ele as conhecia. Então ele se dirigiu, ainda cantarolando, ao casal que estava a minha frente, cantou uma parte que era parecido com isto: ''vou vagando pelo mundo atrás de um amor''. De imediato ele parou e disse:

- Ah, hoje já não posso mais procurar. Já estou viúvo.

Não entendi muito bem, mas ele prosseguiu.

- A gente tem tudo e ainda assim reclamamos.

Ele olhou para mim e disse:

- Não é?!

E eu:

- É... (Vou contrariar?).

No outro lado da rua tinha um homem de muletas. Ele Não tinha parte de uma das perna. O Sr olhou para ele e nos disse:

- Olha isso. Tá vendo só? Eu não queria ficar assim. Se estivesse queria que a vida me levasse. Fui convocado em 39 e passei por muitas, mas tô aqui ainda em forma.

E
lá vem o ônibus. Não era o meu, mas era o do Sr. Tive uma imensa vontade de pará-lo e perguntar qual seria o seu maior sonho. Pensei que ele poderia perder o ônibus, e acabei não perguntando. Acho que esta foi uma das maiores frustrações da minha vida.
Pouco depois o ônibus que eu esperava chegou. No caminho fique imaginando qual seria a resposta do Sr: ''ganhar na Mega Sena'', ''ter minha veia de volta',' ''ter mais cabelo e menos despesas'', ''arrumar uma mulher de 20''. E por ai vai.
Por vezes dei risada sozinho olhando o nada pela janela. Mas comecei a observar as pessoas nas ruas, e via nelas várias deficiências como a do homem do outro lado da parada. Via cegos, surdos, mudos, ou os três na mesma pessoa. Via pessoas sem cabeça, sem Sistema Circulatório, sem moral. Todos amputados.
Resolvi os imbróglios no banco e chispei para casa. Lá comecei a desenvolver o meu plano já arquitetado: arrumar as coisas e ir pescar.
Sai de casa por volta das 17h com destino não muito estabelecido, de inicio sabia que era a praia. E lá fiquei nos limões por um bom tempo. Vi a Lua nascendo bastante avermelhada, vi que não haviam pessoas na praia neste dia, vi um mar bastante calmo, maré secando e os 5 bagres que peguei – Estes dei a uma criança que havia me pedido dinheiro.
Pensei bastante nos momentos em que estava pescando. Pensei bastante naquele Sr e em todas as pessoas que vi pela janela do ônibus. Pensei em minha família – que naquele momento deveriam estar dando risada de alguma insanidade que vinha vó falara. Pensei nas coisas que me aconteceram nos últimos e nos novos tempos, principalmente nos últimos dias.

Algumas coisas percebi: que muitos ônibus passam em nossas vidas, e é sempre bom saber escolher em qual entrar e onde descer; que podemos perder algumas partes do corpo sem nem mesmo percebermos; que de vez em quando é elegante usar chapéu; que a Lua manda mensagens; que é preciso ter mais cuidado com bagres; que não se deve perder muito tempo em cálculos demasiado longos; que onde menos se espera pode-se encontrar algo que te faz dar mais um passo.

O dia de hoje, dentre essa tal data, em minha vida, foi um dos melhores sem dúvida. Desde as horas que não durmi até as horas que ainda não durmi.

Não cheguei a nenhuma conclusão concreta – como era de se esperar – mas quem sabe na próxima pescaria.

Até a próxima querido Diário. E espero que demore...

7 Comentários:

Blogger noemi brito disse...

tu escreve muito beeeem
quero ser tu qndo crescer
tirando a barba
hsuahsuahsuahs

historia nao poderia ter mais detalhes, mts coisas vc aprendeu nesse dia ein? mas, eu nao entendi, qual o significado do natal pra vc?

Feliz Natal
;*

25/12/2007 17:11  
Blogger Tadeu Baptista disse...

Essa tal data digamos que seja diferente. Eu fico comigo mesmo mais ainda.

I feel fine

25/12/2007 21:33  
Blogger CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...

É bom desabafar num diário de vez enquando.

Mas não sempre. =p

27/12/2007 16:09  
Blogger Tadeu Baptista disse...

É, o Diária é algo cotidianamente quase insuportável.

28/12/2007 02:01  
Blogger Leonel. disse...

Vi o link pro teu blog no Orkut, gostei bastante do texto, principalmente as considerações finais...

29/12/2007 16:16  
Blogger Tadeu Baptista disse...

Considerações finais são sempre boas,mas dependem muito do que antes foi lido.

É isso ai...

Obrigado.

29/12/2007 19:06  
Blogger Café & Poesia disse...

Meu Querido Diário... Posso com isso? É um docinho mesmo e por isso te odeio -.-'

14/12/2012 13:05  

Postar um comentário

<< Página inicial