11 de janeiro de 2008

Momento falta do que fazer: Enila

.


Enila

Este peito cá bate mais forte.
Numerosos são seus gritos
Instantes de euforia
Leve como um chumbo alado
Anormal

Asas
Leves asas
Intensos vôos
Nuvens roxas
Enamoradas

Acontece minha cara,
Levo no peito muito disto
Insanidade não é loucura
Nostalgia é Legião
E logo, aí, estou

E o caminho da felicidade pode ser ali
Não tem gravidade
Inversão de papeis
Livre
Ali, né?

6 Comentários:

Blogger Seu Hélio disse...

Desculpe-me ser intrometido... É impressão minha ou sente falta de uma paixão passada? Certamente é o tema principal de sua poesia ... Enfim, não precisa responder... Se de fato for, guarde para ti.

Bela poesia.

11/01/2008 12:31  
Blogger Tadeu Baptista disse...

Eu não diria velha, mas nova. Uma nova vida.
Mas os detalhes guardados estão no baú da vida.

Obrigado.

11/01/2008 20:00  
Blogger The Immature Girl disse...

essa enila... nunca fui a enila de ninguém, hehehehehe...

bem legal o blog... teus blogs indicados ali do lado tb são muito bons!
bjus!

15/01/2008 11:50  
Blogger The Immature Girl disse...

essas alines.... hihihihihi...

17/01/2008 11:38  
Blogger noemi brito disse...

no fundo todo mundo quer ser a Enila de alguém!
menino, como Aline tá invejada!!!
kkkkkkkkk
mto lindo Tadeuu *-*
parabéns
:***

16/02/2008 02:48  
Anonymous Sara Roma disse...

Escreves muito bem,custumo visitar muitos blogs e custumo pensar que existem muitos bons escritores, e tu não foges à regra estás de parabéns. Gostei muito do poema "Enila", tem um toque neo-clássico pelo fim de século, com uma grande intensidade lirica tá muito bacana. jocas bahiano

03/03/2008 12:51  

Postar um comentário

<< Página inicial