9 de janeiro de 2008

Momento quatro-linhas: É da entrada da área

Clique aqui e veja o vídeo

"É falta na entrada da área
Adivinha quem vai bater
É o camisa 10 da Gávea
É o camisa 10 da Gávea
Ele tem uma dinâmica física rica rítmica
Seus reflexos lúcidos
Lançamentos dribles desconcertantes
Chutes maliciosos são como flashes eletrizantes
Estufando a rede num possível gol de placa
Estufando a rede num possível fol de placa"


Estas linhas acima, da música Camisa 10 da Gávea, de Jorge Bem, descrevem perfeitamente quem foi e quem é Arthur Antunes Coimbra, também conhecido como o Galinho de Quintino, mas, para os íntimos da bola, é o Grande Zico.
Não o vi jogar, não o vi encantar, não o vi ser o Zico, mas saudoso fico em meus sonhos das tardes de domingo no Maracã. Vejo neles uma mágica do homem que virou ídolo, e que virou mito, eterno.
Trocaria alguns dias vividos por uma única tarde daquela dos meus sonhos...

Falta perto da entrada da área! Agitação dos adversários, muita confusão, e o arqueiro tenta organizar a parede à sua frente.
A Geral enlouquecida grita como já sabendo o resultado de tal efeito.
Ele ajeita com carinho a redonda. Três passos pra trás. Mão na cintura...
Ao som do apito a torcida se cala.
Ele vai majestoso ao encontro da bola, a bola de encontro às redes e ele de encontro à torcida. É gol!
Ele soca o ar com seu punho direito e o deixa erguido, como se do céu caísse sua inspiração.
É do Camisa 10 da Gávea! Assina Zicão!

Não é preciso viver para se ter saudade. Às vezes grandes sonhos, mesmo que não sejam nossos, mesmo que não tenhamos sonhado, e que não tenham sido vividos, nos deixam saudade. Você foi um sonho, que jamais será sonhado ou vivido novamente.
Deixou saudades...

3 Comentários:

Anonymous Mary disse...

Bem.......dei uma passadinha para ver seu blog....E dei de cara com essa letra....que ouvi muito...e tenho ela até hoje..Inesquecível...as cobranças de falta do Zico.
Parabêns pelo Blog.

10/01/2008 21:02  
Blogger Seu Hélio disse...

...Tenho saudades daqueles tempos, tenho saudades das saudades. Tenho saudades não do que fizera, pois não fiz, mas do que poderia ter feito. Não que deixara de fazer, mas que não nascera a tempo para tal...

Belo post. fique a vontade para comentar em meu blog.... www.auquemia.blogspot.com

Obrigado

10/01/2008 22:59  
Blogger Tadeu Baptista disse...

"Não que deixara de fazer, mas que não nascera a tempo para tal..."

Boa observação...

11/01/2008 10:59  

Postar um comentário

<< Página inicial